Importar/Exportar dados vetoriais ao PostGIS (Continuação)

Uma vez que o formato shapefile não é o único existente para armazenamento de dados vetoriais, darei continuidade ao artigo anterior (onde ensino a importar dados vetoriais no formato shapefile ao PostGIS) apresentando outra ferramenta de importação/exportação, mas que trabalha com uma gama maior de formatos vetoriais.

A possibilidade de não se restringir a apenas um formato vetorial garante a interoperabilidade dos projetos executados com outros softwares e amplia o alcance a diferentes públicos.

INTRODUÇÃO

A ferramenta a ser apresentada aqui é a “ogr2ogr”. OGR é uma “biblioteca” de fonte aberta que possibilita a leitura e acesso a diversos formatos para dados vetoriais e matriciais (para consultar todos os formatos vetoriais contemplados, clique aqui). A ferramenta “ogr2ogr” apenas uma, das várias interfaces da biblioteca OGR.

Para instalar a biblioteca OGR, basta fazer download e instalar o kit FWTools. O FwTools, por sua vez é um kit fácil de instalar, com várias bibliotecas importantes como, GDAL, MapServer e outras.

O Download pode ser feito no site: http://fwtools.maptools.org/

1- INSTALANDO FWTOOLS:

No terminal do Ubuntu e no diretório onde o downloads foi salvo, descompacte o FWTolls (1), entre na pasta da ferramenta descompactada (2), e instale-o (3):

tar xzvf FWTools-linux-0.9.5.tar.gz
cd FWTools-linux-0.9.5
./install.sh

Uma vez instalado o FWTools, estamos aptos a utilizar a ferramenta de importação/exportação de dados vetoriais para o PostGIS usando a ferramenta ogr2ogr. Esta ferramenta é, na verdade usada para conversão de dados vetoriais e o que faremos é justamente isso: transformaremos um dado vetorial em formato KML, em uma tabela de um banco de dados PostGIS. Mas a mesma, pode ser utilizada para outras conversões como, por exemplo, entre shapefile e KML.

Para sabe mais sobre as extensões suportadas pelo OGR, basta executar o comando:

ogr2ogr --formats 

2 – CONVERSÃO E IMPORTAÇÂO DO KML PARA POSTGIS:

O formato do comando a ser executado é o seguinte:

 ogr2ogr -f "formato_vetorial_destino" nome_arquivo_final.extensão nome_arquivo_origem.extensão

Uma vez que estamos querendo converter de um formato para um banco de dados espaciais, será necessário incluir alguns elementos fundamentais sobre o banco de dados (host, porta, usuário, etc), assim como tivemos que fazer, no artigo anterior, ao exportar um dado vetorial do PostGIS para o formato shapefile.

Como exemplo, farei a importação de um dado baixado baixado da internet, contendo a localidades das lojas e oficinas de bicicletas na zona sul do Rio de Janeiro. Este dado chama-se BikeRio e está em formato KML. Assim, o comando de importação seria:

ogr2ogr -f "PostgreSQL" PG:"host=localhost user=usuario dbname=nome_geodb password=senha" BikeRio.kml

Após a importação, o inseri em um projeto do QGIS só para me certificar de que estava tudo correto:
BikeRio_importado

Para exportar um arquivo vetorial que esteja no PostGIS, basta seguir a mesma lógica:

ogr2ogr -f "formato_vetorial_destino" nome_arquivo_final.extensão PG:"host=localhost user=usuario dbname=nome_geodb password=senha" "Tabela"

Como exemplo, exportarei do dado qu acabei de inserir, mas tendo como formato final shapefile:

ogr2ogr -f "ESRI Shapefile" BikeRio.shp PG:"host=localhost user=usuario dbname=nome_geodb password=senha" "bike rio"

BikeRio_Exportado

Um site interessante a ser consultado, caso tenham alguma dúvida é o “BostonGIS“, que possui uma página inteira destrinchando as principais conversões possíveis com a ferramenta “ogr2ogr”.

Vale dar uma olhada!

Anúncios

Sobre Felipe Barros

Geógrafo formado pela PUC-Rio, é mestre em Biodiversidade pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro e especialista em analise ambiental e gestão do território pela ENCE/IBGE. Trabalha com softwares livres de análise espacial, banco de dados e sensoriamento remoto.
Esse post foi publicado em Banco de Dados Geográficos e marcado , , , , . Guardar link permanente.