Foss4gBrasil: Mudando o jogo

No início do ano fiquei sabendo que nosso vizinho realizaria um encontro de ‘Free and Open Source Software for GIS’ ou FOSS4G. Resolvi me articular com alguns interessados e ir ao evento. Resolvi ainda, propor um curso visando enriquecer mais a proposta.

Pois bem, estamos aqui para o evento,  e tem sido ótimo. Descobrimos que além dos grupos de usuários de softwares específicos, eles organizaram um grupo que contempla a todos: geoinquietos. Nome sugestivo, não?

Hoje li pela manhã um artigo do Fernando Quadro no seu Blog se questionando o “por que os argentinos conseguem e nós não”. Neste artigo, ele nomeia algumas iniciativas realizadas mas que não tiveram reedição. Além disso, ele aproveita para levantar algumas hipóteses, das quais gostaria de comentar algumas aqui:

– Será o reflexo da nossa colonização, de exploração? Será que estamos fazendo com software livre o mesmo que fizeram conosco na época da colonização? Vejo poucas empresas apoiando realmente o software livre, na realidade vejo sempre as mesmas.

Acho um pouco forçado colocar culpa em nossa história, pela nossa tendência em manter a inércia. Mas pode fazer sentido.

Com relação às empresas, aqui eu vejo um ponto importante. Em 2014 alguns usuários de QGIS organizaram um “encontro” promovendo palestras online (I Encontro de usuários de QGIS). Foi o que deu para organizar e, acredito que foi bem sucedido. Todos os materiais se mantêm online para auxiliar quem não pode participar. E, apesar de o QGIS ser um software de grande apelo às empresas que se dedicam ao ensino de SIG, Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto, não houve, se quer, a manifestação de interesse, de qualquer empresa deste ramo. Aliás, não há nenhum envolvimento das mesmas com a comunidade QGISBrasil que, dentre outras atribuições, é responsável pelo processo de tradução do software. Logo, fica aqui o convite às empresas do ramo a se envolverem com o projeto. E, para que fique claro, mais do que dinheiro, precisamos de parceiros mobilizados e comprometidos com a causa.

– Será que é devido a falta pessoas se levantarem e se organizarem para realizar um evento desse porte (me incluo nesse item)?

Opa, será? Desculpe a ironia, mas sim. Acredito que seja esse o principal ponto. Afinal, não existe evento sem mobilização e comprometimento, assim como não existe software livre gratuito e de qualidade se ninguém se propor a programá-lo. Vejo o I encontro de usuários de QGIS como um caso pertinente. É comum na lista de e-mail do QGISBrasil, termos e-mail de usuários animados a realizar um evento. A inércia foi quebrada depois que passamos a nos reunirmos para organizar o processo de tradução e o I Encontro. E, tendo em vista a colaboração que o encontro exigiu, o tenho como um sucesso.

– Ou em decorrência do item acima, das organizações internacionais de Open Source GIS não olharem para o Brasil?

Não sei como nem o porque eles não olhariam. Somos um país de escala continental. Temos 6 biomas, sendo dois considerados hotspots para conservação, temos a amazônia (considerada o pulmão do mundo), grandes questões hídricas a serem resolvidas, uma grande extensão litorânea, sem falar nos elementos sociais e políticos que dariam ótimos casos de uso de SIG. E sim, ele tem sido usado, temos em nosso país grande desenvolvedores, por exemplo: Edmar Moretti, LuisMota. Não tenho dúvidas que organizações internacionais teriam e tem grande interesse em contribuir para nosso desenvolvimento. Mas talvez seja mais um caso para a quebra de inércia. Não podemos esperar que eles venham nos oferecer ‘ajuda’ (ou olhar para nós).

Minha pergunta é, até quando será assim? Temos grandes comunidades de QGIS, gvSIG, GeoServer, i3Geo entre outras, não tenho dúvidas que temos plenas condições de nos unirmos e realizarmos um evento tão bom quanto o FOSS4G Argentina, só depende de nós.

Eu realmente acredito que já não é  mais assim, e acredito ter apresentado alguns exemplos do porquê. Pode ser que estejamos almejando algo maior, mas é de pequeno que se começa. E sim, vamos nos unir! Aliás, é um convite à todos que estejam interessados em fazer mais.

Desculpem o desabafo!

Vamos fazer valer nosso desabafo?  Criamos o grupo Geoinquietos Brasil para discutirmos o desenvolvimento de geotecnologias livres (independente do software) no Brasil. Sendo um objetivo a curto prazo organização de um evento que integre as grandes comunidades de geotecnologias livres do Brasil.

Aos que tem interessem em participar, basta participar o grupo pelo link.

Assinado:

Felipe Sodré M. Barros

Narcélio de Sá Pereira Filho

 

Anúncios

Sobre Felipe Barros

Geógrafo formado pela PUC-Rio, é mestre em Biodiversidade pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro e especialista em analise ambiental e gestão do território pela ENCE/IBGE. Trabalha com softwares livres de análise espacial, banco de dados e sensoriamento remoto.
Esse post foi publicado em Divulgação e marcado , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Foss4gBrasil: Mudando o jogo

  1. Edmar Moretti disse:

    Acho importante compreender o papel de grupos locais, como o geoinquietos, e da OSGEO nacional. Veja: http://geoinquietosmadrid.github.io/geoinquietos-y-osgeoes
    Geoinquietos pretende desvirtualizar as relações, por isso faz mais sentido como grupo de pessoas que consigam se reunir facilmente. Grupos em uma cidade ou universidade.
    Acho que um evento nacional poderia ser pensado no âmbito da OSGEO.
    De fato o brasileiro não costuma realizar trabalhos voluntários, talvez pq nossa renda é baixa e temos pouco tempo livre, mas sinto que o principal problema está na estratégia dos poucos que colaboram. Gostaria muito de ter o geoinquietos Brasília, vamos ver se rola.

  2. Felipe,

    Vejo que o post conseguiu atingir o meu objetivo, que era chacoalhar as pessoas e fazer com que uníssemos forças para essa empreitada, o FOSS4G.

    As minhas “teorias” são apenas teorias, o objetivo era que as pessoas parassem para refletir e se sentissem cutucadas a fazer algo para mudar essa situação.

    Vamos em frente…

  3. Prezados,

    Lendo post e comentários digo que me identifiquei com o as questões e iniciativas levantadas Venho acompanhando os movimentos #geoinquietos da Espanha e também me surpreendi que havia um na Argentina e já com um evento por acontecer. Cheguei a montar a viagem que para mim sairia com um custo bem baixo (moro em Porto Alegre/RS). Não pude ir por ter compromissos que se sobrepuseram.
    Concordo com a importância dos encontros para fortalecer o movimento e resultar em mais apoio, maior peso de participação, produção e apoio financeiro. Mas também concordo com o Edmar que estas iniciativas mais locais comporiam algo maior, além da importância de desvirtualizar, como bem foi dito. Vide as iniciativas na Espanha que se dão por cidades.
    Estou montando aqui em Porto Alegre faz algum tempo uma iniciativa nos moldes espanhóis já existentes. Sou residente em espaço de inovação social que poderia abraçar a infraestrutura dos encontros.
    Sou arquiteto e urbanista com especialização em SIG, programo muito pouco, porém tenho algum tempo envolvido nesta área, tanto profissional, na capacitação e entusiasta das geotecnologias. Acredito que estes grupos pela sua diversificação de interesse somam muito na troca de experiências e auxiliam os avanços da área.
    Fico atento nesta chamada e a disposição para tocar esta ideia adiante.
    Abraços.

  4. Pingback: FOSS4G: Nós podemos! – Blog do Fernando Quadro

  5. Edmar, estamos cientes sobre os objetivos do grupo geoinquietos. Mas independente disso, achamos pertinente criarmos este canal para unificarmos usuários de diferentes sofwtares. Também estivemos conversando com Vasile Craciunescu (Participante da ‘diretoria’ da OSGeo), que apresentou sobre a instituição. Eu pessoalmente vou tentar inteirar sobre o capitulo brasileiro e ver onde poderia ajudar. Conto com sua participação na lista para unimos esforços.

    Fernando, entendi sua proposta. E nossa resposta foi para mostrar que tem gente ativa nas comunidades. Fico feliz que não tenha levado para o lado negativo. Vamos nessa!

    Fausto, ótimo saber que está interessado! E temos pensado muito sobre o que seria legal como encontro. Contamos com sua participação no grupo! Abs
    Felipe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s