Instalação de softwares espaciais no Ubuntu

Como aproveitei para atualizar meu Ubuntu para a versão mais atual (16.04 LTS), tive que reinstalar todos os softwares de SIG, Sensoriamento Remoto e análise espaciais. E por não são expert em Ubuntu, sempre faço besteira ao adicionar repositórios que acabam instalando software em versões anteriores, ou quebro dependencias de outros softwares… Enfim, sempre tenho problemas.

Por isso, montei um script de guia e ele foi meu salvardor durante um/dois anos. Como o script foi montado para a versão anterior do Ubuntu, eu teria que reestrutura-lo para a versão 16.04. Mas em Outubro de 2016 participei de um curso na Latinoware sobre o complemento do QGIS DSGTools, ministrado pelo Luiz Andrade, do Exército Brasileiro. No curso, nos foi compartilhado um script “similar” ao que eu tinha feito, mas em formato executável no bash (terminal do linux) e com muito mais funcionalidades. Não tive dúvidas, entrei em contato com o Luiz para ter acesso ao script e recebi a boa notícia: o script tinha novas funcionalidades e funciona para diferentes versões do Ubuntu.

O que será instalado:

Outras funcionalidades:

  • Configuração do PostGreSQL;
  • Configuração do Apache
  • Instalação de bibliotecas para utilização do GRASS, OTB, SAGA e Semi-Automatic Classification Plugin;

Pelo ótimo trabalho do pessoal da DSG e imaginando que esse script seja de interesse de outras pessoas, resolvi compartilhar com vocês: link

O script faz parte do repositório DSG Management Tools e surgiu, segundo o Luiz, da rotina de instalação de tais softwares nos computadores das corporações ou durante os treinamentos.

Deixo aqui meu agradecimento ao Luiz Andrade e Philipe Borba pelo trabalho desenvolvido e compartilhamento do script.

Façam bom uso!

Anúncios

Sobre Felipe Barros

Geógrafo formado pela PUC-Rio, é mestre em Biodiversidade pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro e especialista em analise ambiental e gestão do território pela ENCE/IBGE. Trabalha com softwares livres de análise espacial, banco de dados e sensoriamento remoto.
Esse post foi publicado em Banco de Dados Geográficos. Bookmark o link permanente.